segunda-feira, 21 de abril de 2014

Significado dos ornamentos

Os ornamentos além de possuir muita beleza e chamar a atenção do público, possuem propriedade que estão ligadas a teoria e a essência do yoga, segundo Mahanapriyan Thavarajah (s.d.). Os ornamentos são: Ottiyanam (cinto), pathakkam muthumalai (cadeia de pérolas: colar longo), attigai (gargantilha); thodu, maatal e jimikku (brincos); nathu, mookuthi e pullaku (anéis do nariz, piercing); netrechutti (ornamentos usados na cabeça); suriyam chandram (Sol e Lua); raakodi (no coque) e jadipinnal (na trança).
Ottiyanam (cinto): o umbigo é o ponto central do corpo onde a energia emana para cima e para baixo, local do Manipura Chakra. Nos textos de Kundalini yoga a Shakti (energia) é ativada quando apertamos com força a cintura, pressionando alguns pontos vitais que permitem o fluxo rápido e suave de sangue, energizando o corpo; e impedindo a espinha dorsal e o corpo de exaustão.
O Pathakkam Muthumali (colar longo) é ligado ao quarto chakra, Anahata. Ele teria a função de controlar a frequência cardíaca. A peça do colar possui o desenho de dois papagaios, que estão associados ao Deus do amor, Manmatha, representando todos as formas de sentimentos ligados ao amor que tem sua origem no coração.
Netrichutti (ornamento da cabeça): ligado ao terceiro olho, o Ajna chakra. É o lugar onde o pottu/bindi é colocado, onde vários nervos se conectam, prevalecendo fortes forças atrativas; acreditando que isto nos impede de cair nas forças do mal. A parte circular representa o Ajna chakra, as duas partes que passaem para os lados possuem pérolas, especificamente, as últimas formam um quadrado para fazer mais pressão sobre a cabeça e os nervos, que são energizados, mantendo a bailarina num estado letárgico (médium).
Suriyan e Chandram (Sol e Lua): em ambos os lado da medula espinhal existem dois conjuntos de canais (Idanaadi: esquerdo, Pingalanaadi: direito); o Sol (lado direito) é uma fonte de calor e a Lua (lado esquerdo) de frio, cada um representa um canal, enfatizando a importância de um equilíbrio entre frio e calor no corpo humano.
    
            Attigai (gargantilha): o pescoço conecta nervos do corpo para o cérebro, a gargantilha ativa estes nervos, mantendo-os sempre energizados. E a peça central dela representa o quinto chakra, Vishuddha.
            Nathu, Mookuthi, Pullaku (piercing do nariz): eles são usados para ajudar a regularizar a respiração. Os antigos também acreditavam que os piercinig ajudavam a remover toxinas do corpo.
            Thodu, Maatal, Jimikku (brincos): o thodu é colocado onde a orelha é furada, o jimikku é a parte que fica pendurada e o maatal é a parte de cima. Juntos protengem a cóclea da orelha, ajudando a regular o comprimento das ondas de som que entram no ouvido.
  
            O Raakodi é colocado no coque do cabelo, tem a forma de uma flor de lótus de mil pétalas, representando o sétimo chakra, Shahasrara. Nele também é incorporado pedras formando um cisne, símbolo do conhecimento/iluminação; significando que bailarina chega a Deus através da iluminação.

            Jadipinaal (trança): o cabelo trançado lembra duas cobras sinuosas e soprepostas uma sobre a outra; este é o símbolo da Kundalini Shakti. O cabelo é dividido em 3 partes antes de ser trançado, representa a Idanaadi, Pingalanaadi e o Sushumnanaadi. Do ponto de vista de baixo, a trança seria parecida com a Kundalini Shakti, que está sendo ativada a partir da base, elevando-se para cima através dos vários Naadis (canais), passando por outros chakras e, finalmente, chegando ao Sahasrara Chakra, que está no alto da cabeça. Os acessórios usados ​​na trança, incluindo o Kunjam (ligada à parte inferior da trança) são formadas de modo diferente para representar os 7 chakras principais no corpo humano.
  


Fonte: http://www.apsarasarts.com/blog/-/blogs/the-significance-of-indian-dance-jewelry-a-yogic-analysis

Nenhum comentário:

Postar um comentário